segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Victoria's Secret Fashion Show 2011

A Victoria's Secret fechou o ano de 2011 com chave de ouro, trabalhando com diversos temas no último fashion show do ano. Em uma passarela de glitter as Angels abriram o desfile ao lado de bailarinas que deram um show, sim o primeiro tema foi o Ballet. Em seguida, ao som de Kanye West,  as modelos ganharam super poderes, e saíram dos quadrinhos direto para a passarela, um verdadeiro "BOOM"! 
O vídeo também mostra os bastidores, depoimentos dos diretores de criação e das modelos.  
Passion, Aquatic Angels, Spell On You, Club Pink foram os outros temas. 
Os shows de Maroon 5, Jay-z e Kanye West e Nicki Minaj também marcaram presença na passarela.



sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Fast Fashion


O fast fashion é um termo utilizado por grandes magazines que caracteriza o fenômeno de uma produção em série rápida e continua de novidades. A intenção é produzir muito e vender em tempo recorde, diferentes de lojas que prezam a exclusividade, e agregam valor as peças tornando-as mais caras. As redes de fast fashion procuram trazer novidades o tempo todo,  estão sempre lançando novas coleções e mudando as vitrines para atrair o cliente. Com essas mudanças rápidas, o cliente percebe que deixando de comprar uma peça que lhe interessou no dia, há grande possibilidade de não encontra-la mais em outra ocasião. Pois as coleções acabam rapidamente enquanto outras entram. 

Aumentando a velocidade de produção é evidente que a qualidade sofra uma queda, mesmo porque a ideia é fazer com que o cliente não use a peça muitas vezes para que ele possa voltar à loja e fazer mais compras.

A moda sempre foi ao longo da história um diferenciador social. Antigamente, classes sociais mais baixas eram proibidas de usar determinadas peças ou até mesmo cores, fosse por lei ou porque realmente não tinham condições de pagar.  Hoje em dia, as tendências são absorvidas por todas as classes, o que diferencia é a qualidade e o valor agregado à marca consumida. Isto é, o preço. Para as redes de fast fashion o que rege não é exclusividade ou qualidade e sim novidade e preço acessível.

A indústria de moda percebeu a necessidade de recorrer a essa moda rápida, devida a busca constante da sociedade pelo novo. Além disso, a participação dos jovens como consumidores, mudou o mercado de moda. Nos anos 50 e 60, houve uma grande mudança no comportamento dos jovens, capaz de atingir o marcado da moda. Nascia uma geração de formadores de opinião, eram os novos e exigentes consumidores. A moda, principalmente, a partir dos anos 60, teve de se adequar a esse novo público que surgia. Tornou-se então mais ágil, o que culminou na queda da alta-costura e surgimento do prét-à-porter. 

É importante ressaltar que a sociedade busca um mundo cada vez mais rápido, em todos os sentidos. A tecnologia é um meio bastante utilizado para tornar as atividades mais fáceis e rápidas. A internet muito caracteriza essa sociedade “apressada” e graças a ela vivemos uma globalização de informações.  É por isso que os fatos, as notícias e as tendências de moda e comportamento estão ao nosso alcance, cada vez mais rápidos.  O sistema de fast fashion é a resposta da indústria a esse aceleramento de demanda. Grandes redes produzem em larga escala uma mesma peça para o país ou até para o mundo todo, devido a essa moda globalizada, que por meio da internet e televisão, faz com que as pessoas tenham desejos e buscas similares independente das particularidades locais. 

A partir dos anos 80, o consumo já estava globalizado, intensificado e ainda mais veloz. Entretanto, ao mesmo tempo em que surge um consumo generalizado, há uma necessidade de individualidade, e o mercado consumidor passou por segmentações que podemos exemplificar com o surgimento das tribos e consequentemente de produtos personalizados. 
O mercado que não trabalha com o sistema de fast fashion, necessita investir caro em pesquisas de captação das tendências de moda, no fast fashion o foco está na pesquisa de consumo, ou seja, observa-se o que as pessoas estão realmente usando.
A Zara é um exemplo de rede que mantém grande sucesso devido ao sistema de fast fashion. A empresa atende a um público diversificado, preocupa com a estética da roupa e com o preço baixo. Investe em  lançamento de produtos diferenciados, que, mesmo sendo em larga escala, a distribuição de sua produção consegue passar uma ideia de semi-exclusividade para os clientes. A marca procura identificar as tendências de moda e consumo para então produzir e distribuir em tempo recorde. Recentemente, a Zara do Brasil foi acusada de usar mão de obra escrava para cumprir com essa alta velocidade de produção. Provavelmente, isso deve acontecer em outras redes de fast fashion que não passaram pela fiscalização. Afinal, para que uma produção em larga escala corra de forma tão rápida é provável que haja uma pressão muito grande em torno de muitos funcionários, e salários baixos para diminuição de gastos.



sábado, 8 de outubro de 2011

Ilustração de moda





O livro Fashion Illustration para Designers por Kathryn Hagen é acompanhado por um DVD com varias tecnicas de illustraçao. Ms. Hagen é uma instrutora de ilustração de moda no Otis College of art and Design, em Los Angeles, California. 
Ms. Hagen é um mestre em misturar mídias para obter resultados realistas e muito bonitos. Suas ferramentas incluem: Marcadores Copic , lápis de cor  e marcadores Prismacolorcanetas pincel Tombo, guache, canetas escrita fina e canetas Milky Gel. Mesmo se você não estuda ilustraçao de moda, por si só, este livro é um excelente recurso para melhorar suas habilidades com desenho e tornar real uma figura vestida. 

Convite!




Mais informações http://blogdesigndemoda.cesjf.br/