sábado, 2 de outubro de 2010

Console-se

Já se sentiu a última pessoa do mundo vendo fotos antigas? que cabelo é esse? que roupa é essa? e essa calça centro-peito???? se isso te consola...saiba que não é só você que entra em depressão ao se deparar com seu passado negro! 




   é né gata...






  não é nem da água pro vinho, é da água sanitária pro champagne    


  se você já achava ela brega...saiba que ela já foi pior...






 sem comentários, estou me sentindo linda depois dessa...






  nerd 






 é o dinheiro faz milagres, mas Carla Perez é uma que vai morrer brega! 








  essas roupas coloridas e o inesquecível melocoton alegravam minha manhã 






       ela ainda se veste mal, mas antes....






  BBB também muda as pessoas






   !






A verdade é que rimos das modas antigas, mas seguimos fielmente as modas atuais (seu orkut já deve ter dito isso pra você) ...mas enfim, está se sentindo moderninho(a), bem vestido(a)? experimente tirar uma foto, guardar e revê-la daqui a 5 anos....melhor não né? hahaha 

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Vintage ou Retrô ?

Tanto vintage quanto retrô nos remetem ao passado, mas há uma diferença entre os estilos.

Retrô é a releitura de uma moda passada,algo que já foi visto. Os estilistas se inspiram em alguma década e criam peças novas com modelagem e estilo que remetem a esse passado. É algo novo com cara de antigo! 








Vintage é uma peça de fato antiga, algo guardado de anos,bem conservado,que ainda está em condições de uso. 



   

Vogue década de 60



Resumindo, a diferença entre o vintage e o retrô está na aquisição na peça: tirar roupas do fundo do baú, assaltar o armário da vovó, fazer compras no brechó é vintage, ir no shopping e comprar um vestidinho recém lançado com cara de anos 50 é retrô!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Alta Costura e Prêt-à-Porter

Pra começar, a alta costura só existe em Paris, é feita sob medida e com exclusividade por quem pertence ao Chambre Syndicale de la Haute Couture. Os modelos são artesanais, isto é, roupas feitas a mão. Além de confeccionada a peça só pode ser entregue em Paris. O estilista deve apresentar 2 coleções semestrais com 35 looks cada. A casa deve contar com 15 funcionários contratados. 
O inglês Charles Frederick Worth foi quem legalizou a profissão de estilista e criou o Sindicato da Alta Costura com leis, regras e normas. Foi o primeiro a utilizar manequins humanos e a primeira modelo do mundo foi sua esposa Marie Vernet, separou as coleções em outono-inverno e primavera-verão e ainda assinava suas criações, por tudo isso Worth é considerado o pai da alta costura. 
Em 1943 o mercado da alta costura contava com mais ou menos 20.000 clientes, hoje em dia esse número não chega nem a 200.  As peças são caríssimas, e para sobrevivência das casas, os estilistas trabalham com a venda de produtos secundários: linhas de acessórios, perfumes, bolsas...além do que, o luxuoso desfile da alta costura tem a função mais de divulgar a marca do que comercializar seus artigos. 
São exemplos de alta costura: Chanel, Dior, Valentino, Givenchy, Balmain, Balenciaga, Versace, Lacroix, Elie Saab, entre outros. 





Dior



O prêt-à- porter surgiu no mercado depois da Segunda Guerra mundial, criado pelo francês  J. C. Weill deriva da fórmula americana ready to wear, que significa pronto para vestir. Devido a facilidade de adquirir as roupas,  maior variedade e preços mais acessíveis(em comparação a alta costura) a produção logo se popularizou . Não há mas um cliente específico, como na alta costura. É o começo da produção em série, porém de alta qualidade. Tiragens mínimas e limitadas por modelo caracterizam o luxo do prêt-à-porter que conta com um grupo de consumidores potenciais. 





Prada

O que resta para nós, reles mortais, é o que chamamos de 'modinha', que ainda pode ser subdividida em questões de qualidade, exclusividade e preço...vai de C&A à Colcci! 


domingo, 26 de setembro de 2010

Trickle-down X Boubble-up

Trickle-down(gotejamento) e Boubble-up(ebulição) são os dois movimentos contrários da moda,com base na escala social. Eles explicam de onde pode surgir uma moda.

Trickle-down é quando a moda nasce do topo, da elite e é copiado pela 'massa'. Por exemplo uma celebridade lança uma moda, que é divulgada através da mídia, aparecem os primeiros seguidores até estabelecer um consumo em massa, surgindo cópias no mercado popular. 

Não precisa ser necessariamente um produto. O cabelo escorrido,jogado de lado do cantor Justin Bieber virou febre entre os garotos.


 

O campeonato Colírios da Capricho, na MTV mostrou vários 'seguidores' dessa moda



Ao contrário, o efeito Boubble-up surge nas ruas ou em grupos específicos, o mercado da moda percebe e dá um nome ao estilo, as revistas divulgam a tendência,adotam-se versões mais sofisticadas que vão para as lojas de luxo.
A calça baixa e muito larga usadas pelos cantores de rap teve influência dos presidiários americanos. Que quando entravam na cadeia não podiam usar cinto e quando saiam estavam mais magros. Assim as calças ficavam largas, caindo. Acabou virando um estilo...




É importante lembrar que independente de onde surja um estilo, pra virar moda precisa ser aceito e imitado. Quando a moda atinge níveis elevados de consumo, torna-se massificada e acaba perdendo sua característica de diferenciação. Se todo mundo tem, todo mundo fica igual!


O que é moda?

Por que nos vestimos? e por que nos vestimos diferente de nossos antepassados?...afinal, o que é moda?







A roupa acompanha o homem desde o início de sua evolução. Na pré-história o homem cobria-se com pele de animal para proteger-se do frio. Mas embora essa grossa pele de animal o agasalha-se, elas lhe tolhiam os movimentos, dificultando nas caçadas. Porém,os desenhos rupestres mostram que eles não abriam mão dessa vestimenta na hora da caça  porque acreditavam que vestindo a pele dos animais anteriormente caçados,eles  adquiriam a força do animal.
Avançando no tempo, as primeiras civilizações já não usavam mais peles amarradas no corpo. Assírios, babilônios e egípcios se vestiam de acordo com a matéria prima e condições tecnológicas ao qual tinham acesso . Assim, eles desenvolveram roupas de fibras naturais tecidas, como a usada pelos assírios(civilização guerreira e ainda nomâde,moviam seus rebanhos de acordo com a disponibilidade de terras conquistadas), e o linho usado pelos egípcios(cultivado as margens do Nilo, aonde a civilização estava fixada).
A roupa, também foi,desde cedo, usada para diferenciar classes sociais. Faraós usavam trajes e jóias que os diferenciavam dos demais. 
Mas até o final da Idade Média, o que existia ainda não era moda,era indumentária.
Só podemos falar em moda, no momento em que a revolução comercial enriqueceu a burguesia, fazendo com que essa procura-se outra forma de se vestir. A numerosa classe dos nobres e dos comerciantes ricos encontrou nas roupas uma forma de diferenciar-se entre os demais. Surgiram então detalhes de vestimenta que eram muitas vezes copiadas pela influência do usuário.  Os estilos eram ditados pelo domínio e influência política das nações. Desse fenômeno surge a moda, onde as pessoas mudavam sua forma de vestir através de influências sociais.
Portanto, o momento histórico em que o homem passa a valorizar-se e busca na aparência diferenciar-se dos demais é o que traduz a individualização e caracteriza a moda.
A moda só acontece porque existem seguidores. Ninguém 'faz' moda sozinho. É preciso existir pessoas que acreditem,concordem e consumam a idéia que a moda oferece.