quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Batik

Batik é uma técnica de estamparia, artesanal e fácil de fazer! 
Você só vai precisar de tecido musselina, um pincel mousse, tintas aquarela para tecidos finos,delineador textil/guta e uma moldura(telas de silk).






Pra começar, prenda a musselina na moldura, grampeando e esticando o tecido. Depois é só fazer a pintura que quiser, pode ser uma mistura de várias cores ou uma cor só. Espere 24hrs para secar, ou use seu secador de cabelo! Depois de seco, pense em algum desenho ou escreve algo com o delineador textil, e espere mais 24hrs ou seque também com secador! 


 mistura de cores
um cor só, já com o desenho da guta

Depois que a guta secar, é só pintar a tela toda de preto



Depois é só lavar e o resultado é o fundo preto e a arte na cor ou mistura de cores que você fez antes.



Fim!





Elsa Schiaparelli




Italiana de alma francesa, nasceu em Roma em 1890. De família rica de intelectuais, neta de Giovanni Schiaparelli, (astrônomo que descobriu os canais do planeta Marte), possuía uma boa situação financeira. O que lhe possibilitou freqüentar a escola. Porém não lhe deram a possibilidade de aprender um ofício. Elsa interessava-se por muitas coisas, entre elas a filosofia, chegou a escrever um livro de poemas, Arethsa, desaprovado pela família.
Seus pais queriam que ela se casa-se, mas quem agradava a ela não agradava a família e vice-versa. Foi então que eles resolveram envia-la pra a Inglaterra. Em Londres Elsa conheceu o conde William de Wendt de Kerlot com quem casou-se contra a vontade dos pais em 1914. O casal morou cerca de cinco anos nos Estados Unidos. Tiveram uma menina, Yvonne Gogo, mas o casamento durou pouco e separada com uma filha para cuidar, Schiaparelli teve que voltar para Paris em 1922. Começou a fazer os primeiros tricôs, nessa época, para garantir sua independência financeira.            
Conheceu alguns artistas com quem passou a criar raízes, além Man Ray, que já conhecia de Nova York. Mas sua carreira de estilistas viria quando conheceu Paul Poiret (1879-1944) que reconhecendo sua criatividade encorajou-a a fazer moda.
O inicio de sua carreira veio com a criação de um simples pullover preto mais que se diferenciava por ter um grande laço branco bordado, lembrando uma borboleta. O fato de Anita Loos, autora do romance de sucesso “Gentlemen Prefer Blondes” ter sido sua primeira cliente fez com que a casa americana Strauss encomenda-se 40 peças. 



Em 1927 abriu sua primeira butique apresentando sua primeira coleção em 1929: Stop, look and listen. Seu estilo irreverente trouxe inovações à moda com criações exóticas e egocêntricas. Música, Circo, Borboletas, Commedia del l’Arte, Astrologia, Cash and Carry foram as demais coleções.
Com o progresso e sucesso de sua carreira, Elsa tornou-se rival da então consolidada e famosa Coco Chanel, que tinha um estilo oposto ao seu. Chanel é clássica e buscava praticidade em suas roupas. Schiap, como era chamado por amigos, tinha espírito vanguardista e ligada aos principais artistas da época, como Salvador Dali trouxe o surrealismo para suas criações. Além de Dali, Marcel Duchamp, Picabia, Man Ray, Stieglitz, Jean Cocteau, Christian Bérard também faziam parte do circulo de amizades da estilista.
Junto com Dali, Schiaparelli encontrou no surrealismo a base para sua inspiração, criando peças como o chapéu em forma de sapato, o vestido-lagosta, a bolsa telefone, o tailleur escrivaninha com bolsos em forma de gaveta.


           
Antecipando-se ao pop-arte, a estilista inspirou-se em Pablo Picasso ao estampar artigos de jornal em tecido. O efeito trompe-l’oieil era também usado por ela, simulava elementos que não estavam verdadeiramente ali, criando uma ilusão de ótica, como no “Vestido Rasgo-ilusão”, com estampas que simulavam rasgados, criado em parceria com Salvador Dali, em 1937.
Schiap criou o corte assimétrico e deixou o zíper aparente em seus modelos de alta-costura. Suas coleções eram inspiradas em um os dois temas domintantes. Como na coleção Circo, repleta de cavalos, elefantes, trapezistas e botões personalizados, encomendados de Cocteau, em forma de acrobatas,que mergulhava nas casas.
Apesar da aversão ao tradicional, sua moda era simples, devido a cortes e linhas suaves. Elsa queria vestir a mulher moderna, peças soltas e funcionais eram a definição do que é hoje o sportwear.
Em 1933 criou seu primeiro vestido comprido, feito de crepe-da-china e justo, junto com uma casaca com abas que se cruzavam atrás, o vestido ficou famoso e foi copiado no mundo inteiro.
Em 1935 abriu seu salão de moda na Place Vendôme, em frente ao Ritz. Os cinco anos seguintes forma os melhores para a estilista.
Durante o período da II Guerra, Schiaparelli foi para os Estados Unidos , regressando a França em 1945. Os problemas financeiros só aumentavam, uma vez que ela não conseguia controlar sua fantasia e extravagância mesmo em tempos de recessão.
Shocking Elegance foi sua ultima coleção, o que tornou famoso o shocking pink ,até hoje falado,rosa-choque. Sim, Elsa queria chocar com suas invenções. Em 1948 lançou o perfume de grande sucesso denominado também Shocking, cujo frasco era uma silhueta feminina, conta-se que foi desenhado com as medidas da atriz Mãe West, cliente de Schiaparelli, que uma vez enviou um manequim com suas medidas para o atelier , ao invés de ir à prova. Schiap soube aproveitar.


 

Em 1954 lançou sua biografia, naturalmente, Schoking Life.
Faleceu em 1973, aos 83 anos. Apreciada pelo seu caráter, interessava-se por musica, teatro e arte. Uma mulher a frente de seu tempo, sensível, suave, teimosa e genial.