sábado, 30 de julho de 2011

Ronaldo Fraga

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Pré - História

 Assisti no meu curso técnico de moda o filme "A Guerra do Fogo" , de 1981,  produzido por Jean-Jacques Annaud. 



 O filme retrata um período na pré-história e dois grupos de hominídeos. O primeiro, que quase não se diferencia dos macacos por não ter fala e se comunicar através de gestos e grunhidos, é pouco evoluído e acha que o fogo é algo sobrenatural por não dominarem ainda a técnica de produzi-lo; o outro grupo é mais evoluído e tem uma comunicação e hábitos mais complexos, como a habilidade de fazer o fogo. Esses dois grupos entram em contato quando o fogo da primeira tribo é apagado em uma guerra com uma tribo hominídeos mais primitivos, que disputam pela posse do fogo e do território. Noah, Gaw e Amoukar (membros do primeiro grupo) são destacados então para uma jornada para trazer uma nova chama acesa para a tribo. Nesse caminho deparam -se com um grupo de canibais, e resgatam de lá Ika, uma mulher pertecente ao grupo mais evoluído. Do contato com essa mulher, os três caçadores do fogo aprendem muitas coisas novas, já que ela domina um idioma muito mais elaborado que o deles, assim como domina também a técnica de produção do fogo. Levados por diversas circunstâncias a um encontro com a tribo de Ika, percebem que há uma maneira diferente de viver; observam as diferentes formas de linguagem, o sorriso, a construções de cabanas, pintura corporais, o uso de novas ferramentas, e mesmo um modo diferente de reprodução.

Como trabalho escrito, fiz um pequeno texto sobre a indumentária da época. 

O filme concentra-se em duas tribos diferentes de hominídeos, a tribo menos evoluída cobre mais o corpo, com destroços de pele de animais, da forma que a pele era arrancada do animal, era colocada em volta do corpo, presa por cipó ou até mesmo pela tripa do animal, que faziam o papel da linha. Um dente de mamute poderia ser usado com uma espécie de agulha primitiva.      Não havia molde ou forma definida para essas vestimentas. Nos pulsos e tornozelos pode se ver também um pedaço de pele enrolado, como se fosse uma pulseira. Normalmente os pêlos dessa pele usada pelo homem pré-histórico, eram voltados pro corpo, diferente de como usamos hoje em dia. 
Os braços aparecem de fora, alguns membros da tribo parecem usar maior quantidade de peles, aparecem com mais volume nos ombros. Outros usam alguns acessórios, como dentes de animais presos em algumas partes do corpo. Um deles aparece com um dente perfurando a narina, como um pircing. Os cabelos são compridos e crespos, alguns com barba outros não.
Os seres da tribo mais evoluída, pintam os corpos de cinza e preto. Em volta dos olhos o preto lembra a maquiagem usada pela banda Kiss. 
Quanto à indumentária, usavam espécies de tangas. Os cabelos pareciam mais elaborados, e alguns acessórios eram usados na cabeça e no pescoço. Até mesmo uma espécie de calçado já existia, como uma sandália de couro envolta no pé. Essa tribo também possuía instrumentos de guerra e artefatos (como um jarro de água) mais evoluídos. 


 Na prática o trabalho era confeccionar uma peça com pele sintética de animal.

Minha bolsa pre-histórica tá quase pronta...só falta encontrar uma alça legal...eu podia encontrar uma de ossinhos de pedrita, mas só o dentinho de tigre foi uma luta pra achar!



Ahh, e olha só quem eu achei de Amy!

PS: Esqueci de posta essa foto ontem! hahaha

domingo, 24 de julho de 2011

"You know I'm no Good"


Entrando para o clube dos 27, Amy Winehouse deixa não só uma carreira brilhante , interrompida pelas drogas, mas também uma grande influência no mundo da moda. O cabelo e a maquiagem, marcas registradas da cantora, já foram reproduzidos em desfiles e editoriais. O gosto pelas coisas antigas, pela década de 60, as tatuagens, os vestidos curtos de cintura marcada e decote pin-up definiam o estilo de Amy, a cantora  inglesa branca de voz negra. 




 Em fevereiro de 2008, a Top Isabeli Fontana encarnou Amy para um editorial na revista Vogue





Chanel 2008



A notícia divulgada ontem (23/07/2011), foi triste mas não surpreendente, a mais ou menos três anos que o talento de Amy vem sendo ofuscado pelos escândalos e envolvimentos com drogas e bebidas. Recentemente, a cantora cancelou sua turnê, vaiada pelos fãs por não conseguir uma boa apresentação nos palcos. 
Em janeiro desse ano, ela se apresentou no Brasil, sua apresentação não foi das melhores, mas também não foi das piores como no Rock in Rio Lisboa, em 2008, onde ela cantou embriagada e com a voz rouca, um fiasco. 
É uma pena saber que Amy Winehouse morreu tão cedo, mas é pior ainda saber que ela já não era a mesma desde que álcool, drogas e um amor compulsivo e mal resolvido consumiram seu talento. Eu prefiro ficar só com a parte boa de seu sucesso!